Picture
Ruínas da estação baleeira e da antiga base inglesa.
Picture
Águas quentes na praia de Whalers Bay
19 de Janeiro
Base Antárctica Espanhola Gabriel de Castilla, Ilha Deception

Hoje de manhã saímos de zodiac para Whalers Bay, um sítio incrível do outro lado da caldeira. Cerca de 20 minutos de zodiac levam-nos até uma pequena baía, de águas aquecidas pela actividade geotérmica anómala. Partes da linha de costa estão aquecidas e há muito vapor a sair da água. As ruínas de uma antiga base inglesa destruída por uma escoada de detritos (lahar) durante os eventos vulcânicos de 1967, bem como os restos enferrujados de uma estação de processamento de baleias do início do Séc. XX incutem ainda mais um aspecto mágico à paisagem. Infelizmente, quando chegámos, estava também a chegar um antigo navio oceanográfico russo com cerca de uma centena de turistas que desembarcaram e passearam por terra durante cerca de 2 horas. Lá se foi parte da magia, numa paisagem pintada de formigas amarelas, a cor dos casacos distribuídos pela agência de viagens.

Estivemos cerca de 3h em Whalers Bay. O objectivo foi caracterizar os solos nos lahar, recolher amostras e estudar a espessura da camada activa em diversos locais. Voltámos de zodiac ainda a tempo de almoçar na base.

Á tarde, fui à base argentina com o Marc e estivemos a organizar o equipamento que vamos levar connosco para Livingston. Ao que parece, seremos transportados para lá no dia 22 ou 23. Seguimos depois para a proximidade do lago Irizar para terminar um levantamento topográfico e instalar estacas no solo para medir a solifluxão, um fenómeno erosivo ligado à congelação e fusão do solo. A partir de meio da tarde começou a nevar e o solo, do lado ocidental da ilha encontra-se agora coberto por uma fina película de neve. 
 


Comments

João Soares
01/25/2011 01:51

Olá, o meu nome é João Soares e sou um aluno da escola E.B.I. de São Bruno. Na aula de F.Q. lemos alguns dias da vossa campanha e achamos bastante interessante o vosso trabalho, e gostaria de saber que tipo de "óbstaculos" econtraram no vosso percurso pela Antárctida e como têm sido lidado com eles diariamente.

Aguardarei pela vossa resposta,
Obrigado,


João Soares

Reply
01/27/2012 14:50

Nice info dude

Reply
01/27/2012 17:33

will return shortly

Reply
03/24/2012 03:06

Good article dude

Reply
05/30/2012 13:17

THX for info

Reply



Leave a Reply

    Picture
    Gonçalo Vieira é coordenador do Grupo de Investigação em Ambientes Antárcticos do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa (CEG/IGOT-UL) e relatará neste blogue a sua experiência como responsável pela campanha PERMANTAR-2. Este projecto, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, tem permitido a Portugal manter actividades regulares na região da Península Antárctica e a consolidar o seu papel internacional no estudo do solo permanentemente gelado (permafrost) e das consequências das alterações climáticas sobre ele.

    O PERMANTAR-2 é um projecto português que envolve parcerias com a Argentina, Brasil, Bulgária, Espanha e Estados Unidos da América.
    Picture

    Picture

    Picture

    Picture

    Arquivos

    February 2011
    January 2011
    December 2010

    RSS Feed